Ep. 58 - Entrevista com o poliglota Steve Kaufmann

Ep. 58 - Entrevista Steve Kaufmann
00:00 / 12:22

Ouvir no SpotifyiTunes ou Google Podcasts, ou ver o vídeo no Youtube

Tive finalmente a honra e o prazer de entrevistar o famoso poliglota canadiano Steve Kaufmann, que se consegue comunicar em cerca de 20 línguas diferentes.

TRANSCRIÇÃO:

Olá a todos e bem-vindos de volta ao Portuguese With Leo!

 

Hoje é um dia especial porque vou ter como convidado talvez o poliglota ou um dos poliglotas mais conhecidos da internet, o canadiano Steve Kaufmann,  que entre falar e compreender, consegue comunicar-se em cerca de 20 línguas.

 

Eu sigo os vídeos do Steve no Youtube e todos os seus conselhos para aprender línguas já há alguns anos e hoje tive finalmente a honra de o poder entrevistar, aqui para o Portuguese with Leo.

 

O Steve é também o fundador da plataforma de aprendizagem de línguas, LingQ, onde é possível encontrar conteúdo de nível intermédio para muitas línguas e onde talvez consigam até encontrar conteúdos do Portuguese With Leo. Vou deixar o link na descrição.

Boa tarde, Steve! Para mim é boa-tarde, quase boa-noite. Para ti, é bom-dia. Antes de mais nada, muito obrigado por teres aceite vir aqui para o meu canal...

 

Primeira coisa, é um grande prazer para mim poder falar contigo, com você. A língua para mim é um pouco difícil porque se situa entre o espanhol e o português e tem também essa situação do português que se fala no Brasil e o português que se fala em Portugal. Não é muito difícil porque o vocabulário em português é muito similar ao vocabulário em espanhol. Então, pode ser difícil falar bem, mas não é difícil entender e comunicar para mim, em português. Ainda assim, faço muitos erros no meu português.

 

Eu sei que tens muitos vídeos que falam sobre como aprender uma língua. Tens muitos conselhos para as pessoas sobre como aprender línguas e claramente és uma pessoa que teve muito sucesso e que continua a ter muito sucesso, na aprendizagem de línguas. Por isso, hoje estaria mais interessado em perguntar-te, mesmo com todo o teu conhecimento e toda a tua experiência a aprender línguas, há alguma língua que tenha sido particularmente difícil? Há alguma história tua, assim mais de insucesso que depois tenhas conseguido ultrapassar?

 

Para mim, cada língua é uma questão de tempo e também de procurar conteúdos interessantes para estudar então, para a língua portuguesa, não é um problema. Tem muitos podcasts de Portugal, TSF, também do Brasil, Rádio Globo, então existe uma multitude de possibilidades de conteúdos. Para mim, foi mais difícil o árabe, mais difícil o coreano porque na altura em que eu estudei, por exemplo, o coreano, eu não consegui encontrar conteúdos interessantes.

 

É muito importante que possamos aprender com conteúdos interessantes para nós, porque se os conteúdos são todos aborrecidos, é muito difícil continuar. Há dificuldades como a gramática, a gramática nas línguas eslavas, a escrita em chinês... Sobretudo, é uma questão de motivação e de disponibilidade de conteúdos interessantes.

Portanto, tu dirias que a maior dificuldade é encontrar conteúdos interessantes. Há línguas específicas que têm dificuldades especificas, como a gramática nas línguas eslavas, a escrita nas línguas asiáticas, mas é sobretudo: se há conteúdos interessantes, é mais fácil.

 

Sim. Vais superar todos os obstáculos se verdadeiramente quiseres aprender a língua.

 

Exatamente. Eu concordo e, aliás, foi isso que me levou a fazer este canal. É tentar criar conteúdos que pelo menos eu acho interessantes para o português, mas por acaso então queria-te perguntar: Tu, para a língua coreana, tiveste dificuldade em encontrar conteúdos interessantes? Como é que superaste isso? Como é que pesquisaste? Como é que conseguiste dar a volta a esse problema para encontrar conteúdos que realmente te motivassem? Muito pesquisa no Youtube e podcasts?

 

Bom, a língua coreana não é um bom exemplo porque agora não estou estudando essa língua, mas no tempo em que estudei coreano tinha coisas simples, para principiantes e também consegui encontrar podcasts em coreano mas sem transcrições. Então, tinha que pagar a uma pessoa para transcrever esses podcasts num texto que podia depois importar no LingQ. É muito caro. Não é uma boa solução.

 

Agora, existem serviços de transcrição automática que funcionam bastante bem. Utilizo um serviço que se chama "HappyScribe" para o árabe, o persa e tem melhorado muito nos últimos 2/3 anos. Agora para o árabe ou o persa, vou procurar podcasts na internet, extrair o mp3, pô-lo na "HappyScribe" para obter a transcrição, vou importar tudo, mp3, transcrição no LingQ para estudar, escutar e aprender. Para o português, por exemplo, tem podcasts excelentes da TSF, para o português europeu, de Portugal, mas sem transcrições. A mesma coisa para o podcast do Brasil, Rádio Globo, por exemplo.

 

Tu levaste a conversa para o português, e ainda bem, porque isto é um canal de português e estamos a falar português e eu noto no teu português que tu claramente aprendeste espanhol primeiro. O que é muito inteligente, porque depois do usaste o espanhol, que é a língua mais parecida ao português, como base para construir o teu português.

 

E eu calculo que seja um coisa que tu fazes com várias línguas. Se já falas uma língua, usas essa para aprender uma língua parecida, como base. Tu tens algum conselho para conseguir diferenciar nas nossas cabeças, quando já temos uma língua e aprendemos uma língua parecida e usamos a primeira língua como base para a segunda. Como é que depois fazemos a separação?

 

Para mim é não preocupar-se demasiado com esse problema. Porque, se eu que não falo nem espanhol nem português agora, porque estou a estudar outras línguas, mas se eu vou a Portugal ou Brasil, passar uma semana... Muito rápido eu vou falar melhor, vou falar também com erros. Erros, não "errores".

 

Erros! Exato.

 

Mas vou escutar a língua, como falam os nativos no país e vou falar melhor, mas sempre, o mais importante é a compreensão. Se eu compreendo o que dizem os outros vou poder continuar a conversa até que vou assimilar e integrar as formas corretas da língua. Então para mim, eu não tenho medo. Vou falar com tudo. Depois de uma semana vou falar melhor, depois de duas ou três semanas ainda melhor... Para mim não é um problema.

 

Eu acho que isso é muito importante porque muitas pessoas, e eu próprio já caí nesse erro, muitas pessoas ao ter medo de falar; ao ter medo de não falar perfeitamente, evitam falar. E isso faz com que não falem. E no fundo, aprender uma língua, o objetivo é comunicar, seja de forma mais correta, seja de forma menos correta, o que interessa é comunicar: "Get your point across". E realmente eu concordo.

 

Nunca tinha pensado nisso dessa forma, mas não se preocupem com a mistura na cabeça, o que interessa é conseguir comunicar. Se a outra pessoa percebe, é suficiente. Não é?

 

Sim! Tem que confiar no cérebro. Quem vai falar, mais ou menos com erros... Às vezes, corretamente, a próxima vez com erros... Isso não é importante, é o feito de falar. Não é possível falar sem erros, os erros são necessários e quando falamos com erros isso incita o outro a falar connosco. E se nós entendemos a língua é possível ter conversações adultas, inteligentes, sobre muitas coisas. E vamos escutar, escutar o que diz o outro. Então, é muito importante ter a coragem para falar com erros.

 

Acho que é uma ótima nota para acabar a entrevista, um ótimo conselho. A maior parte das pessoas aprende uma língua, ouve a língua, compreende a língua, mas a dificuldade é falar e muitas vezes é porque têm medo de fazer erros.

 

Sim, sim, mas acho que esse ênfase... A importância sobre a compreensão é normal, é natural. Penso que a compreensão vem primeiro, e depois a possibilidade de  falar com fluidez.

 

Steve, muito obrigado.

 

Muito obrigado.

 

Não sei se queres deixar um conselho final aos nossos ouvintes, para progredirem no português, para evoluírem no português. Acho que é não ter medo de falar, não é?

 

Não ter medo de falar e sobretudo, ter prazer no estudo das línguas. A coisa mais importante, se você tem prazer ou se gosta da aprendizagem de línguas, vai continuar. Na aprendizagem de línguas, é necessário continuar porque não é muito rápido. Não é uma semana ou três meses, não. Necessita tempo.

 

Anos, anos, é verdade.

 

Anos!

 

E isso traz-nos de volta ao que disseste no início que é preciso encontrar materiais de que gostemos.

 

Exatamente.

 

Espero que tenham gostado dos conselhos do Steve para manter a motivação e para aprender línguas. Como de costume, um muito obrigado às mais de 80 pessoas que apoiam este projeto no Patreon. Para quem se quiser juntar ao Patreon, o link está na descrição. Um muito obrigado e até para a semana.

Voltar ao topo