Ep. 53 - Tour do Bairro Alto com a Eating Europe

Ep. 53 - Tour do Bairro Alto com a Eating Europe
00:00 / 09:47

Ouvir no SpotifyiTunes ou Google Podcasts, ou ver o vídeo no Youtube

Neste episódio exploramos as ruas do Bairro Alto segundo o percurso do tour gastronómico da Eating Europe.
Se quiserem fazer o tour da próxima vez que vierem a Lisboa, podem reservá-lo no website da Eating Europe: https://www.eatingeurope.com/lisbon/bairro-alto-evening-food-tour/
Não se esqueçam de utilizar o código de desconto LEONARDO para terem 10% de desconto e para me terem a mim como guia!

TRANSCRIÇÃO:

Olá a todos e bem vindos de volta ao Portuguese With Leo.

Há cerca de um ano, nos primórdios deste podcast, fiz 2 episódios de tours de Lisboa com a empresa de turismo com a qual trabalho, a Eating Europe.

Foram episódios que gostei muito de fazer e que tiveram um feedback muito positivo, por isso hoje trago outro tour de Lisboa, desta vez pelo Bairro Alto, que é a zona da vida noturna de Lisboa por excelência!

Antes de começarmos, não se esqueçam de que podem marcar o tour através do link na descrição para o fazerem da próxima vez que estiverem em Lisboa. Quando marcarem o tour não se esqueçam de usar o código de desconto “Leonardo” para terem 10% de desconto e para me terem a mim como vosso guia.

E recomendo àqueles de vocês que estiverem a ouvir o podcast que vejam o vídeo no Youtube para poderem ver os diferentes locais aonde vamos na cidade de Lisboa.

O ponto de partida do tour é um lugar que tem uma das melhores vistas de Lisboa: O miradouro de São Pedro de Alcântara!

Este bonito miradouro e jardim foi construído em 1863 e é um local perfeito para relaxar durante um passeio pelo centro de Lisboa, dando-nos uma vista desafogada de alguns dos pontos mais emblemáticos do centro da cidade.

A norte, à esquerda, é possível ver alguns dos edifícios altos da parte mais moderna de Lisboa, e à medida que vamos descendo para o centro da cidade, conseguimos ver as árvores da Avenida da Liberdade, o obelisco e edifícios da Praça dos Restauradores, e o inconfundível telhado do Coliseu dos Recreios.

Um pouco mais acima vemos as árvores do Miradouro da Senhora do Monte, o miradouro mais alto e, na minha opinião, com a melhor vista de Lisboa, e um pouco mais à direita vemos a igreja e convento da Graça, que também tem um miradouro com uma vista fantástica.

Temos depois o inconfundível Castelo de São Jorge, que se ergue imponente sobre os bairros da Mouraria e de Alfama, os mais antigos da cidade, e finalmente a Sé de Lisboa, a igreja mais antiga e mais importante da cidade, emoldurada pelo rio Tejo como pano de fundo.

No centro do miradouro existe um painel de azulejos que nos permite identificar todos estes lugares e muitos mais, e para chegar a este miradouro é possível apanhar o Elevador da Glória desde a Praça dos Restauradores.

De frente para toda esta magnífica vista, atravessando a Rua de São Pedro de Alcântara, temos então o Bairro Alto.

O Bairro Alto foi construído no séc XVI e é um dos mais antigos bairros planeados de Lisboa, com ruas direitas e ângulos retos que contrastam com a disposição labiríntica e desorganizada de bairros mais antigos como Alfama e Mouraria.

Inicialmente um bairro residencial, construído para acomodar uma população em crescimento durante a época dos Descobrimentos, com o passar dos séculos o Bairro Alto foi-se tornando um lugar boémio, frequentado por todo o tipo de pessoas, desde artistas e estudantes a marinheiros e prostitutas, sendo um lugar onde se desenvolveu muito o fado.

No séc. XIX e primeira metade do séc. XX, o Bairro Alto abrigava as sedes das principais tipografias e jornais do país, existindo ainda hoje ruas com nomes que remontam a esse tempo, como a Rua de O Século e a Rua do Diário de Notícias.

Na segunda metade do século XX, sobretudo nos anos 70 e 80, o Bairro Alto começou a desenvolver-se como principal lugar de vida noturna em Lisboa, sendo hoje em dia o lugar com mais bares por metro quadrado, provavelmente de todo Portugal.

Os tours da Eating Europe misturam sempre uma boa dose de história e de comida, e hoje, no caso deste tour do Bairro Alto, também uma boa dose de vida noturna lisboeta.

Começamos o tour no Leve-leve, um restaurante de petiscos inspirado na ilha de São Tomé e que pertence ao Abanilson, São Tomense de gema que muitos de vocês irão certamente reconhecer do episódio que eu fiz sobre o sotaque e expressões de São Tomé.

Porque é que viemos a um restaurante africano e não português? Porque a História de Portugal está interligada com África, e sobretudo em termos gastronómicos, há muita influência das ex-colónias portuguesas na gastronomia portuguesa.
 

Aqui no Leve-leve comemos uns fantásticos espetos de frango com molho de amendoim e, para os mais aventureiros, molho piri-piri, um molho picante desenvolvido pelos portugueses durante a época dos Descobrimentos e feito a partir da malagueta, que é um pimento picante encontrado na África meridional.

Depois do Leve-leve e da hospitalidade do Abanilson, vamos para o Tapa-bucho Gastrobar, onde começamos a refeição com uma fantástica tábua de queijos e enchidos, muito típico de Portugal e da cozinha mediterrânica em geral.

De seguida temos 2 croquetes, um de calamares e outro de alheira. Aqui temos uma mistura de 3 elementos típicos da cozinha portuguesa: por um lado os croquetes, que são um salgado de carne muito popular em Portugal; depois o marisco, representado aqui pelo croquete de calamares; e finalmente a alheira, que é um prato típico que remonta aos tempos da Inquisição em Portugal.

Entre os séculos XVI e XVIII tivemos a Inquisição aqui em Portugal, que era uma instituição católica que perseguia e executava todos aqueles que considerava hereges.

Nessa altura havia uma grande população judaica em Portugal que, para fugir às garras da Inquisição, tinha de se converter ao Cristianismo, ou pelo menos demonstrar que se tinham convertido, mesmo que na verdade continuassem a ser judeus.

Para que a Inquisição acreditasse que eles se tinham convertido, os judeus começaram a fingir que comiam carne de porco, o que é proíbido no Judaísmo, e para fazê-lo preparavam salsichas com carne de aves que depois fumavam para dar o aspeto de salsichas de porco, e penduravam-nas nas suas casas, para que toda a gente visse que eles comiam porco e que tinham portanto renunciado ao Judaísmo.

Continuando pelas ruelas do Bairro Alto, a nossa próxima paragem é o bar Aché Latino, na Rua da Atalaia, onde comemos umas excelentes bochechas de porco em vinho do Porto.

Aqui vemos que a temática volta a ser a de ex-colónias portuguesas (Olá Brasil!) mas mantendo-nos na comida típica portuguesa. Começamos também a passar de locais que são apenas restaurantes, a locais que funcionam tanto como restaurantes como como bares.

A Rua da Atalaia é uma das minhas ruas preferidas no que toca à vida noturna do Bairro Alto, e embora agora ainda seja cedo e não haja tantas pessoas na rua, é uma rua com muitos bares e que à noite enche bastante.

O Pub português é outro exemplo de restaurante-bar que para além de servir petiscos serve boas bebidas, tem boa música, e fica aberto até tarde com ambiente de festa.

Aqui comemos um dos pratos portugueses mais típicos e mais conhecidos: o Bacalhau à Brás, cuja receita foi inventada aqui no Bairro Alto por um taberneiro chamado Brás.
 

Depois de toda esta comida ainda há espaço para a sobremesa, e esta não podia ser outra coisa senão o doce mais famoso de Portugal: o pastel de nata, que vamos buscar à Manteigaria, na Praça Luís de Camões.

Esta praça é icónica não só por ter o nome e a estátua daquele que é considerado o melhor escritor português de todos os tempos, Luís Vaz de Camões, mas também por ser um dos principais pontos de encontro dos lisboetas antes de uma noite de festa no Bairro Alto.

Tipicamente, é nesta praça que nos reunimos antes de entrar nas confusas ruelas e becos do Bairro Alto, numa noite que normalmente consiste em explorar diferentes bares com diferentes ambientes, desde bares de salsa e reggaeton a bares de música ao vivo, irish pubs, casas de fado, bares de cocktails, adegas de vinho, etc.

Espero que tenham gostado deste tour pelo Bairro Alto, um lugar cheio de vida, sobretudo noturna, onde é possível encontrar todo o tipo de estabelecimentos e de entretenimento.

Se quiserem fazer este tour na vida real, basta seguirem o link na descrição e usarem o código de desconto “Leonardo” para terem 10% de desconto e para me terem a mim como vosso guia.

Resta-me só agradecer a todos aqueles que apoiam este projeto no Patreon. Convido os restantes de vocês a apoiar o Portuguese With Leo e a fazer parte da nossa comunidade no Discord, onde falamos sempre em português sobre vários temas relacionados com a cultura e língua portuguesa ou simplesmente sobre Portugal e a atualidade.

No Patreon têm também acesso a outras regalias, como poder de voto sobre os futuros episódios deste podcast, um livestream por mês em que respondo às vossas perguntas, e vídeos dos bloopers de cada mês, incluindo os deste episódio.

O link está na descrição, um abraço e até para a semana!

Voltar ao topo

Próximo episódio