Ep. 47 - Sotaque e expressões típicas do Rio de Janeiro

Ep. 47 - Sotaque e expressões típicas do Rio de Janeiro
00:00 / 13:25

Ouvir no SpotifyiTunes ou Google Podcasts, ou ver o vídeo no Youtube

O convidado de hoje é o meu amigo Jade do Rio de Janeiro, um verdadeiro carioca da gema, que nos vai ensinar palavras e expressões típicas do Rio de Janeiro.

TRANSCRIÇÃO:

Olá a todos e bem-vindos de volta ao Portuguese With Leo.


Hoje tenho aqui o meu amigo Jade, que é do...


Rio de Janeiro.


Rio de Janeiro, um carioca de gema.

Da gema! É da gema? Da gema.


Um carioca da gema que nos vai ensinar expressões, palavras, gírias típicas do Rio de Janeiro. Primeiro, eu já reparei, uma coisa que eu queria dizer, eu reparei de ouvir, ouvir-te a ti falar e ouvir outras pessoas do Rio, o sotaque carioca parece-me ser o mais parecido ao de Portugal em certos aspetos. O "s" chiado, não é?


"Esqueci o isqueiro na esquina da escola."


Exatamente. Esqueci o isqueiro na esquina da escola?


Exatamente!


Ou seja, esse "s" é muito característico de Portugal, e no Brasil... não sei se há noutros sítios, mas sei que no Rio falam assim não é?


Sim, sim. Se pegar, traçar uma linha entre o litoral, estado do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, tem esse "s" mais ou menos assim. Não é sempre assim, mas... mash... maish...


Tu consegues identificar carioca logo pelo sotaque?


Assim, assim! Porra, porque, olha só. Você sai do Rio de Janeiro, você vai para outro país ou você vai para outra parte do Brasil e eles começam a zoar do teu sotaque, porque na tua cabeça a gente não pensa que a gente tem sotaque, mas a gente tem sotaque prá caralho, tá ligado?


Isqueiro e chiqueiro.


Ok. Queres que eu diga?


Não, não, você, você...


Eu digo isqueiro, chiqueiro.


Aí!


Quase, como é que tu dizes?


Isqueiro, chiqueiro.


Tem uma coisa que a gente tem que falar aqui.


Diz-me.


Que é absolutamente muito importante para vocês seguidores do Leo. É biscoito, não é bolacha, ok? Está escrito na embalagem, bis-coi-to! Bolacha é um tapa na tua cara, mermão!


Uma bolacha é o quê?


É a sério!


Ah, bolacha é uma tapa na cara?


É, é, é! Bolacha para mim é um tapa na cara.


Isso é uma discussão no Brasil, não é?


Eu não sei porque é que vocês falam bolacha, não sei de onde é que vocês tiraram bolacha.


Nós usamos os dois.


Eu sei, mas está lá escrito... Bolacha, não sei quê!


Nós é bolacha, bolacha Maria, não é?


Biscoito Maria.


Vocês dizem biscoito Maria? Pá, nós, eu acho que nós dependendo da bolacha ou biscoito usamos termos diferentes. Mas normalmente os que são fininhos e redondinhos, tipo as Oreos e as Marias e não sei quê, é bolacha. Se for umas coisas diferentes dizemos biscoito, se calhar. Depende.


É, eu sei como é que é, eu percebo a diferença, mas é tudo biscoito.


Vou fingir que aceito que é tudo biscoito.


Eu separei aqui um negócio para o Leo porque é assim, eu vim aqui, sei lá, conversar, falar na moral, só que é assim... Porra! Começar a falar na moral, eu nem me ligo no bagulho que eu tou falando. Não?


Eu percebi... eu percebi. Eu percebi porque eu já conheço o ligar, não é? Tá ligado? Eu nem me ligo no bagulho que eu tou falando?


Bagulho é as tretas, o negócio, as coisas.


As coisas, ya. Ou seja, percebi pelo contexto. Acho que o bagulho já tinha ouvido mas não...


Já, eu acho que já falei contigo isso.


É possível, mas o que tu disseste antes disso eu não percebi.


Do quê?


Nem sei. Estavas a dizer "Eu estou aqui, não sei quê... Eu nem me ligo do bagulho que eu tô falando"


Não, sim, eu tô falando... Porra, tô chegando aqui, chego aqui e começo a falar dos negócios, tá ligado? Começo a falar "blá blá blá" e às vezes eu nem me ligo na gíria que eu tô falando, nem me ligo que eu tou falando um negócio assim que... Por exemplo, hoje eu percebi que nem todo o mundo conhece a expressão "Na mão do palhaço", e isso no Brasil.


Pois, aqui ninguém.. eu não conheço. Na mão do palhaço?


Na mão do palhaço. Outro dia eu meti o pé do bagulho lá, só que eu meti o pé, eu já tava na mão do palhaço, tá ligado? E aí eu peguei o patinete... Me estabaquei todo, me fodi, me ralei, ó, tou todo fodido ainda.


Ah, mas isso é uma coisa que te aconteceu? Ou seja, patinete eu sei, é trotinete, não é?

Ok.


Meteste o pé. Deves ter metido o pé, não sei, tropeçaste? E na mão do palhaço...


Na mão do palhaço é tipo "narso", tá ligado?


Ah, narso, estavas bêbedo?


Totalmente narso.


Ah ok!


Maluco tá na mão do palhaço cara já tá, ó, para lá de Bagdá.


A sério? Ou seja, na mão do palhaço é bêbedo?  


Muito bêbedo, muito louco. Meti o pé: Saí, fui embora.


Sabes o que é que eu percebi? Eu achava que estavas a andar de trotinete, meteste o pé fora, tropeçaste... E na mão do palhaço é tipo, já não havia volta a dar, já estava ali, já ias cair.


Também, também serve, também serve, também serve. 


Ou seja, no fundo eu não percebi nada que tu disseste.  


Deixa eu ver.


Deixa ver se eu consigo adivinhar mais alguma.


Vamos lá!


Esta foi um fail, não consegui.


Ó, vou-te mandar o quê, o papo reto, tá ligado?


O quê?


O papo reto.


Papo reto deve ser tipo... 


É o contrário de caô.


Falar a sério? Ter uma conversa a sério?


É, papo reto é falar a sério.


Tipo, fora de brincadeiras, papo reto.


Exatamente, papo reto. Papo reto está certo. Caô, o que é caô?


Caú?


Caô.


Como é que escreve isso? 


C, A, O, acento circunflexo no O.


Caô, caô. Caô. Não sei, é o quê?


Mentira.


A sério? Ya, esquece, nunca ia chegar.


Caô, caozeiro, um maluco todo caozeiro, tá ligado?


Caozeiro é mentiroso?


É. Ah, outra coisa, na moral.


Na moral é a sério?


É, literalmente "na moral".


Exato, ou seja...


Na responsa.


Na quem? O quê? Está a haver aqui uma falha de comunicação.


Na responsa, Leo. Na responsa, na responsabilidade.


Ah, ok, tá bem, tá bem, tá bem. Tá bom, tá bom. Na responsa.

 

Caô, caô, caô tá bom, é carioquês 101.


Partiu.

 

Partiu! Pá, isso é tipo... Depende do contexto, mas é tipo "Começou! Bora! Tá a andar, tá a ir!"


Ah, agora sim. Partiu, bora. Isso, aí sim.


Tipo o vídeo, uma festa, qualquer coisa quando começa, partiu.


Eu podia jurar que você ia achar que era tipo alguma coisa quebrada, tá ligado?


Não, não, não. Sabes porque é que eu sei esta?


Então?


Porque eu estou aprender francês, tenho estado no último ano, e em francês diz-se "C'est parti!" quando alguma coisa começa. Tipo, partiu. Partiu, já viste? Foi preciso
ir ao francês para perceber o carioca.


Pela saco. Ou só "pela". Contexto?


Contexto, bora.


Porra, maluco ali é mó pela saco, tá ligado?


Não percebi nada, não percebi nada. Diz lá outra vez. Diz lá outra vez.


O maluco ali é mó pela saco.


Mó é muito?


Maior, mó.


Ah, é o maior pela saco.


É mó pela saco.


Fogo, não sei. Saco é tipo "encher o saco", é tipo, é chato não é?


Exatamente!


Pela saco é chato?


Exatamente, pela saco é chato, maluco chato!


A sério?


Maluco chato, inconveniente, tá ligado?


Bolado.


Bolada?


Bolado!


Bolado?


Tô boladão!


Não pode ser bêbado outra vez?


Não.


Bolado? Foda-se, não sei. Não sei.


Chateado.


A sério? Bolado.


Parada.


Parada?


Essa parada aí, pô.


Tem que ser... Preciso de contexto, preciso de uma frase.  


Pega aquela parada ali para mim.


É aquela coisa, aquela cena.


É...


Ok, ok.


Acabei de perder a linha aqui.


Acabaste de?


Perder a linha.


Perder a linha, esse eu sei, ou já sabia porque havia uma música que eu... Havia uma música que nós adorávamos na faculdade...


Piri pipiri pipiri piri piradinha...


Há uma parte em que ele diz perder a linha e eu na altura, eu lembro-me que eu não percebi o que é que era e alguém me explicou. Perder a linha é perder o controlo?


É, tipo perder a linha, perder o controle.


Tipo, na noite, não sei quê, perder o controlo.


Mas não é só, não é só à noite, tipo, é qualquer tipo de controle, tipo... Exemplo: "Porra, vagabundo perde a linha mané!"


Ou seja?
Vagabundo é tipo o maluco, não é? É uma pessoa.


Vagabundo. Ok.


Perder a linha, perder a linha é tipo se descontrola, se excedeu um bocado.


Ok, ok.


Joselito.


Joselito?


Joselito.


É um adjetivo, é uma pessoa. Joselito. Mas essa aqui essa aqui é só...


Joselito?


Jo-se-li-to. Era de um programa da MTV, que era um personagem que tipo, perdia a linha sempre, tá ligado?


É sem noção.


Um maluco sem noção. Era literalmente o título dele: Joselito sem noção.


Olha, uma pergunta: quais é que são alguns estereótipos que as pessoas do resto do Brasil têm sobre os cariocas, ou sobre o sotaque carioca?


Sobre o sotaque carioca ou sobre os cariocas?


Os dois.


Ok, sobre o sotaque carioca é basicamente, a galera acha que a gente acha que não tem sotaque.


Ok.


E isso é verdade, a gente acha que não tem sotaque. A gente acha que não tem sotaque. "A gente não tem sotaque, os outros é que têm sotaque". Mentira, a gente tem sotaque para caralho!


Percepção do pessoal de fora é aquela percepção... Favela, tiro, droga e crime. Pronto, acabou.


Isso é a perceção que nós temos do Brasil como portugueses. Infelizmente, é triste mas é verdade, temos um bocado essa ideia geral. E tu estás a dizer que dentro do Brasil isso é a perceção que o resto o Brasil tem do Rio?


É. E eles acham que a gente é muito.. malandro.. folgado, eu diria a palavra folgado. Um cara que dá muita confiança, entendeu? Tipo eu chego aqui, começo "Ah, pá, não sei quê", tipo... Por exemplo, cheguei na tua casa, pego, abro a geladeira, pego a cerveja, sento aqui, boto o pé em cima do sofá e ligo a televisão, tá ligado?


Sim, sim, folgado. E eles têm ideia que vocês são muito assim?


Sim.


E é verdade?


Sim!


Ou seja, folgado é um gajo que está à vontade.


Está à vontade, à vontade, exatamente! É tipo aquele, aquilo que vocês falam: "À vontade, mas não à vontadinha..."


Exatamente, "À vontade mas não à vontadinha".


É, a gente seria o "à vontadinha".


Ok, já percebi.


Estar na pista, tu tá na pista Leo? As suas fã querem saber se você tá na pista.


É estar solteiro?


É!


Não posso responder a estas coisas! Já percebi, já percebi o que é que é. Estar na pista.


Estar na pista. Zero oitocentos. Essa nunca, essa tu nunca, essa tu nunca...


Zero oitocentos deve ser tipo, assim bueda rápido, num instante.


Não.


Isso aposto que isso tem uma referência qualquer por trás.


É uma referência. Ó, por exemplo, quando você faz uma ligação de graça aqui.


Uma ligação é uma chamada?


Uma chamada de graça aqui, qual é o número que você digita? É o 800, não é? É a mesma coisa, 0-800, de graça.


Então tu a dizeres que uma coisa que é zero oitocentos, é uma coisa grátis?


É. Porra, zero oitocentos, bora lá! Zero bala.


Zero bala?


Zero bala...


Não faço ideia.


Aliás, bala.


Bala eu já sei que bala é um rebuçado, não?


Sim, ok, beleza.


Zero bala é um rebuçado grátis, é grátis também?


Não, zero bala é novo, zerado.


Zerado é tipo o quê?


Zero bala, zerado, zero, como quando o carro está tipo novo.


Ah, está a zero no contador de quilómetros, é daí que vem.  


É, zero bala.


Nós dizemos "novinho em folha".


E é isso.


É isso. Foi bom.


Obrigado aí por você me ter convidado. É nós pa caralho!


Obrigado por teres... É nós, é nós! Obrigado por teres vindo!

Voltar ao topo

Próximo episódio