Ep. 29 - O Dia das Mentiras

Ep. 29 - O Dia das Mentiras
00:00 / 08:23

Ouvir no SpotifyiTunes ou Google Podcasts, ou ver o vídeo no Youtube

Neste episódio aprendemos a história do Dia das Mentiras e como este é celebrado em Portugal.

TRANSCRIÇÃO:

Olá e bem vindos de volta ao Portuguese With Leo.


Bem, todos sabíamos que, mais cedo ou mais tarde, este dia ia chegar… É com muita pena que anuncio que este projeto, este podcast, vai acabar e este é o último episódio...


Como devem ter adivinhado pelo título deste episódio, aquilo que eu acabei de dizer foi tudo mentira, não tenho planos de deixar de fazer episódios, muito pelo contrário, quero continuar com este podcast durante uns bons anos!


Amanhã é dia 1 de abril, o que significa que é dia das mentiras, e por isso achei apropriado que o episódio desta semana fosse sobre esse tema!


O dia das mentiras não é um feriado em Portugal nem é um dia particularmente importante para os portugueses, no entanto, não deixa de ser uma tradição observada tanto em Portugal como em muitos outros países por todo o mundo, por isso hoje vou falar um pouco sobre a origem do dia das mentiras e a forma como este é vivido em Portugal hoje em dia.


Tal como muitas outras tradições celebradas hoje em dia, não há certezas absolutas sobre a origem do dia das mentiras, no entanto, a teoria mais aceite diz que esta celebração surgiu em França durante o reinado de Carlos IX no século XVI.


França adotou o calendário gregoriano em 1564. Antes dessa data, os franceses celebravam a Passagem de Ano desde 25 de março até dia 1 de abril, que era o último dia do ano. Mas quando adotaram o calendário gregoriano, o Ano Novo passou a ser a 1 de janeiro.


A maior parte dos franceses seguiu esta mudança, de 1 de abril para 1 de janeiro, mas houve alguns franceses em algumas partes do país que continuaram a festejar o Ano Novo no dia 1 de abril, talvez por teimosia ou porque nem toda a gente sabia desta nova alteração, uma vez que naqueles tempos as notícias demoravam mais tempo a chegar a toda a população.


Isto levou a que as pessoas que tinham adotado a nova data de Ano Novo, 1 de janeiro, começassem a gozar com aquelas que ainda celebravam a 1 de abril, pregando-lhes partidas e convidando-as para festas que não existiam.


Uma das partidas mais típicas, conhecidas em francês como plaisanteries, era convidar as pessoas para um jantar onde iria ser servido peixe.


Isto porque naqueles tempos era muito difícil arranjar peixe, e um jantar em que fosse servido peixe era uma ocasião rara e especial, e portanto a partida perfeita para enganar as pessoas. Quando os convidados chegavam ao jantar, viam que não havia peixe e muitas vezes nem havia jantar. 


Graças a esta tradição, esta data ficou conhecida em França como poisson d'avril, ou seja, peixe de abril, e hoje em dia uma partida muito típica em França é colar às costas das pessoas uma imagem de um peixe feito de papel.


Com o passar do tempo esta tradição de pregar partidas às pessoas no dia 1 de abril espalhou-se pela Europa, tendo chegado a Portugal.


Como já disse, em Portugal chamamos Dia das Mentiras ao dia 1 de abril, mas também há quem lhe chame Dia das Petas.


Peta é uma forma mais coloquial de dizer mentira, e normalmente usa-se com o verbo pregar. Ou seja, não é errado dizer “dizer uma peta”, mas é mais correto e mais usado dizer “pregar uma peta”.


E o que é que acontece em Portugal no Dia das Mentiras ou Dia das Petas? A verdade é que não acontece nada de muito diferente dos outros países. Normalmente as pessoas dizem pequenas mentiras ou pregam pequenas petas que normalmente é fácil perceber que não são verdade, como por exemplo aquilo que eu disse no início deste episódio sobre ser o último episódio. Era bastante óbvio que era mentira.


Pessoas com mais imaginação conseguem pregar petas mais credíveis, ou seja, mais fáceis de acreditar, mais difíceis de perceber que não são verdade, mas toda a gente sabe que dia 1 de abril é dia de dizer mentiras, por isso no geral toda a gente desconfia daquilo que ouve e daquilo que lê.


Eu digo aquilo que se ouve e que se lê porque no dia das mentiras é muito típico os meios de comunicação publicarem notícias falsas, que depois desmentem no dia seguinte.


Desmentir significa afirmar o contrário daquilo que foi dito, provando que era, na verdade, mentira. Em inglês diz-se to disprove.


Como todos sabemos, esta tradição das notícias falsas no dia 1 de abril não é exclusiva de Portugal, acontece em mais países do mundo, e, na era atual das fake news, nem sequer é exclusiva do dia 1 de abril, acontece em muitos outros dias do ano.


Mesmo assim, algumas destas mentiras do dia 1 de abril ficaram famosas, tanto a nível nacional como a nível internacional, e por isso agora, para acabar o episódio, vamos ver algumas das mais célebres.


A nível internacional, uma empresa que todos conhecemos e todos usamos, a Google, tem a tradição de inventar sempre alguma coisa no dia 1 de abril, sendo que a sua mentira mais famosa é provavelmente a primeira de todas, em 2005, quando disseram que iam lançar uma bebida nova, uma smart drink que conseguia ler o ADN das pessoas, a Google Gulp, cuja página ainda se pode encontrar na Internet.


Outras petas da Google do dia das mentiras incluem inventar uma máquina de teletransporte em 2011 e uma ferramenta para se poder enviar cheiros em 2013.


Um dos países com maior sentido de humor e tradição de pregar petas no dia 1 de abril é o Reino Unido, e em 2011 o jornal britânico The Independent publicou que Portugal tinha vendido o futebolista Cristiano Ronaldo a Espanha por 160 milhões de Euros para ajudar a pagar a nossa dívida externa.


Obviamente mentira porque nesses anos a Espanha estava a ganhar tudo e portanto não precisava do Ronaldo e porque nós nunca na vida o iríamos vender!


Outras notícias que ficaram famosas em Portugal foram a notícia de que íamos começar a ter autocarros de 3 andares, a notícia de que o Centro Cultural de Belém, em Lisboa, tinha sido inundado, e a notícia de que o Bin Laden tinha sido avistado no Algarve.


Espero que tenham gostado deste curto episódio sobre uma tradição que, apesar de não ser muito importante, ajuda a proporcionar alguma despreocupação e humor a um mundo cada vez mais sério.


Se estiverem a ouvir este episódio no dia 31 de março, sejam criativos nas petas que forem pregar amanhã. Bom dia das mentiras e até para a semana!

Voltar ao topo

Próximo episódio