Ep. 26 - Porque é que o português parece russo?

Ep. 26 - Porque é que o português parece russo?
00:00 / 18:09

Ouvir no SpotifyiTunes ou Google Podcasts, ou ver o vídeo no Youtube

Algo que já todos nos perguntámos em algum momento: "Porque é que o português e o russo soam tão parecidos?"

Neste episódio tenho uma conversa com o Pavel da Rússia para descobrir o porquê!

TRANSCRIÇÃO:

Olá a todos e bem vindos de volta ao Portuguese With Leo!


Hoje vou falar sobre um tema que certamente já passou pela cabeça de muitos de vocês a primeira vez que ouviram alguém falar português, principalmente português de Portugal: Porque é que parece que falamos russo?


Isto é uma questão que deixa muitas pessoas intrigadas, tanto estrangeiros que não conhecem a língua portuguesa, como os próprios portugueses.


Isto porque, embora o português e o russo sejam ambas línguas indo-europeias, são muito diferentes. O português é uma língua latina e o russo uma língua eslava. O russo é muito mais parecido com línguas como o ucranaino, o búlgaro ou o polaco e o português parece-se mais a línguas como o espanhol, o italiano ou o francês.


No entanto, quando um estrangeiro ouve o português pela primeira vez fica muito confuso, porque em vez de ouvir a típica sonoridade espanhola ou italiana, com o S assim e as vogais abertas, ouve muitos ches e jes e as vogais mais fechadas, o que parece muito mais uma língua eslava.


Eu próprio, e aposto que muitos outros portugueses, quando ouvimos alguém falar línguas eslavas assim ao longe, que não dá para perceber bem o que estão a dizer, juro que parece que estão a falar português, pelo menos durante os primeiros segundos em que se ouve psh, pshtsh, pshta, pshtô, parece mesmo português.


Só passado um bocadinho é que me apercebo: “Ah, devem estar a falar russo ou polaco ou uma coisa qualquer.”


Isto tudo acontece porque, embora o russo e o português não tenham quase nada a ver, sejam muito diferentes, a sua sonoridade, a sua fonética é muito parecida.


E hoje vamos ver exatamente em que é que estas duas línguas são parecidas, mas claro, eu não percebo nada de russo, por isso trouxe-vos um convidado muito especial diretamente da Rússia.


O Pavel é russo, nascido e criado em São Petersburgo, e já tem uma longa história com o português, já fala português há muitos anos e fala um português perfeito.


Pavel, quando é que começaste a aprender português?


Olá a todos e bem-vindos à Russian with Pavel!

 

Bem, agora a sério, comecei a aprender português em 2008 quando entrei para a Faculdade de Letras na Universidade de São Petersburgo e depois também fiz vários intercâmbios em Portugal, na Universidade de Lisboa.


A seguir também fiz o mestrado na mesma área e ao mesmo tempo comecei a dar aulas de português em 2012, acho e também a trabalhar com os turistas de Portugal e do Brasil porque São Petersburgo é uma cidade muito turística.


Imagino que tenhas tido mais do Brasil, não?


Claro!


Porque há muitos mais brasileiros do que portugueses. Mas mesmo assim falas com sotaque de Portugal.


Bem, eu faço o meu melhor, porque também dou aulas de português do Brasil, trabalho muito com os brasileiros, então às vezes fico com uma mistura na cabeça.


E tu com os brasileiros falas com sotaque brasilero para eles te perceberem melhor?


Exatamente!


Ok, tá bom, tá bom, porque é difícil perceberem o sotaque português, não é?


Para eles sim, claro.


Os meus amigos russos, muitas vezes eles pedem-me para eu dizer alguma coisa em português para eles ouvirem e sabes que eles também reparam que, bem, tem essa pronúncia muito parecida e eu também sempre pensei, “Porquê, porquê são tão parecidas?”, em alguns aspetos, claro, e por isso é que hoje vamos falar sobre isso, vamos tentar descobrir. 


Para começar, acho que os sons que são os mais parecidos, a primeira coisa que se nota são os sons /ʃ/ e /ʒ/, que existem tanto em português como em russo.


Por exemplo, uma palavra em português, por exemplo “chapéu”, sim? Em russo é шапка (shapka), até tem assim a pronúncia mais ou menos parecida.


É parecido.


Ya, e depois também existe muitas palavras com o som /ʒ/ em russo, como por exemplo a palavra жмот (zhmot), que significa avarento. E em português temos por exemplo esmola, sim?


Exatamente.


Então pronunciam-se de maneira, acho que absolutamente parecida, da mesma, da mesma maneira.


O interessante aqui é como esses sons se combinam juntos e como eles interagem com outros sons e também com as vogais. Eu acho que aqui há dois fatores que fazem as nossas línguas soarem dessa maneira parecida e são os seguintes:


O primeiro fator é que o russo, tanto como o português, são línguas que se chamam stress-timed languages. Infelizmente não existe uma variante, uma opção para traduzir isso, nem para russo nem para português, mas eu vou tentar explicar o que é.
Então stress-timed languages são as línguas onde o tempo entre as sílabas tónicas tende a ficar mais ou menos igual independentemente do tamanho da palavra.


Ok, só para explicar assim, a sílaba tónica é a sílaba em que a pronúncia é a “mais forte”, entre aspas, não é?


Exatamente, sim. Este primeiro fator nos leva, leva-nos ao segundo que é a redução, a famosa redução portuguesa que também existe em russo, porque a fim de caberem nesses intervalos entre as sílabas tónicas, outras sílabas, e principalmente vogais, claro, elas sim reduzem-se, encolhem-se, para caberem.


É por isso que nós cortamos muitas sílabas, nós portugueses, por exemplo a dizer “prtgueses”, quase não dizemos as vogais, porque estamos a encolhê-las.


É um grande problema na verdade, para os principiantes, sim.


Exatamente.


É por isso que em português e também em russo, por causa desse processo aparecem o que eu chamo aglomerações de consoantes. 


Por exemplo, tomemos a palavra “colesterol”, que existe em espanhol e português do Brasil. O espanhol e o português do Brasil não são, não são stress-timed languages  e em espanhol e em português do Brasil acho que eles pronunciam mais ou menos, de maneira mais ou menos parecida, é colesterol, colesterol, mas em português seria?


Exato, tudo certinho. Nós é “colstrol”.


É “colstrol”, nem dá para adivinhar, sim? Sem saber como é que se escreve é muito difícil.


Exato, ou seja, os brasileiros, co-les-te-rol, tudo, as sílabas todas, não é? E nós apertamos as sílabas... colstrol. Parece que tem duas vogais em vez de quatro.


E o mesmo acontece também em russo. Por exemplo, em russo, para dizer olá de maneira formal, nós dizemos Здравствуйте (zdravstvuyte).


Zdravstvuy… Como é que é, como é que é?


É zdrav-stvuyte.


Zdravstvuyte.


Sim. Então, no princípio da palavra aparecem 3 consoantes juntas e depois no meio mais 4, por isso, enquanto que em português as sílabas se reduzem e por isso aparecem aquelas aglomerações, em russo nós às vezes nem temos estas vogais entre as consoantes, por isso dizemos “zdr”, “stv”, que é, acho que também é uma coisa parecida com o português.


E até há palavras parecidas. Apesar de o russo ser uma língua eslava, muitas palavras russas são de origem latina, e às vezes nem os russos estão a par disso, por isso sempre é muito interessante descobrir aquelas raízes latinas nas palavras que nós julgamos serem nossas.


Mas nós primeiro vamos acabar a nossa conversa sobre a fonética...


Vamos falar da fonética, exato, e depois já vemos quais é que são as palavras que são parecidas entre o russo e o português.


No plano da fonética acho que, quanto a consonantes parecidas, eu destacava também os sons /l/ e /ʎ/. Então essa oposição de /l/ forte e /ʎ/ suave, que não existe em espanhol, não existe também em muitas outras línguas, mas o russo tem, sim?


Por exemplo, uma palavra portuguesa, “mala”, sim? Em russo também temos a palavra praticamente igual que se pronuncia de maneira igual, é мало (malo).


Ok, é igual, exato.


Mas significa *pouco*, мало.


E em Portugal, é uma mala. A bag, a suitcase.


Sim e também o som /ʎ/ que aparece na palavra “filho”, também o temos como na palavra любовь (lyubov), que significa amor, sim?


E quase o mesmo acontece com os sons /n/ e /ɲ/. Por exemplo “nada” em Portugal, que significa nada, nothing, e em russo temos também essa palavra, “надо” (nado), mas que significa “é preciso”.


Agora vou falar um pouco das sílabas, por exemplo as sílabas como “ge” e “gi” também são muito típicas para português, desculpa, para russo e também para português.


Por exemplo a palavra giro, em russo temos também a palavra жир (zhir) mas que significa uma coisa absolutamente diferente, que é gordura, por isso para os russos, quando eles começam a aprender português, a palavra giro parece mais que alguém é gordo, sim.


Sobre a sílaba “ge”, por exemplo agência, em russo também existe, por exemplo a palavra поженимся (pozhenimsya). Agência, pozhenimsya, que significa “vamos casar”.


Ah! Ok.


É um verbo. E também o mesmo acontece com as sílabas “che” e “chi”. Por exemplo, em português “checo” e em russo щека (sheká).


Sheká significa bochecha. E outra palavra também que eu achei muito engraçada quando a descobri pela primeira vez é a palavra portuguesa chicote.


Chicote, exato. Chicote, já agora pode haver pessoas que não conheçam esta palavra, chicote é o que se usa para chicotear, é a arma do Indiana Jones, para quem conhece o Indiana Jones, e em inglês diz-se whip.


Em russo há uma palavra muito parecida, que é щекотка (shekotka), mas que significa cócegas. Cócegas é… explica lá!


Cócegas é… cócegas, por acaso não sei se em russo é igual, não é, mas cócegas é uma coisa que se pode fazer e que se tem também. Quando alguém faz cócegas é quando nos fazem assim na pele e nós quando nos fazem cócegas nós sentimos cócegas, ou seja, fazer cócegas é to tickle e sentir cócegas ou ter cócegas é to be ticklish.


Ya, então para nós russos, chicote português são apenas cócegas. 


Com todas estas semelhanças, aprender português para ti foi… foi tranquilo.


Bem, muitos portugueses com quem eu trabalhei e com quem me encontrei, eles todos, quase, repararam que os russos, também os ucranianos…


Têm um bom sotaque.


Eles têm uma certa facilidade em aprender português graças a estes sons, mas tomara que, tomara que isso fosse tão fácil!


Então?


Claro que, o problema é que muitas vogais de português que são parecidas, são parecidas apenas à primeira vista. O que acontece depois é que quanto mais aprendes essa língua, mais reparas que afinal não são bem assim.


Para mostrar essa diferença eu queria tomar como exemplo o som /ɨ/, que existe em russo e também existe em português mas são um bocadinho diferentes.


Em português o som  /ɨ/ aparece só nas sílabas átonas, no final das palavras, no final da sílabas, mas em russo pode ser também tónico e esse é que é o problema, é que para nós esse som /ɨ/ normalmente é mais forte. Por exemplo, a palavra “forte”.


Forte. Ok, estou a perceber.


Nem se ouve bem esse som no final da palavra forte.


É, é quase um suspiro, forte.


Em russo também temos uma palavra muito parecida que é форты (fortý) que são fortificações.


Ok, ok.


Por isso muitas vezes os russos… Quando fala um russo ou um ucraniano dá para perceber de onde ele é por causa desses sons.


Porque pronuncia com mais ênfase.


Há outras dificuldades em português que, bem, fazem a aprendizagem de português ser um pesadelo, que principalmente são os sons nasais, que existem também em russo mas não são assim tão desenvolvidos, sim? Por isso, por exemplo, para dizer “são”, “estão” para nós é bastante difícil.


São muitos, são muitos, “õe”, “om”, “im”, “ãe”, “ão”, é uma data deles.


Sim, também existem, existem em russo mas, bem, os russos nem, nem se dá pela existência deles.


Por isso quando eu dou aulas de português e quando chegamos a esse tema de nasais, eu explico que às vezes é essencial saber fazer essa diferença, dizer essa diferença, porque às vezes as palavras podem ser completamente diferentes se não fizeres o som nasal.


Pão e pau, que é uma palavra que pode ser mal interpretada.
Pode ser, pode ser.


Bom, acho que agora podemos passar para o vocabulário, para os vocabulários, mas em vez de eu dizer simplesmente uma palavra e o seu significado, eu queria que tu adivinhasses o que é que elas significam, tá bom?


Ok ok. porque são palavras que vêm do latim, não é? Vamos ver essas?


Sim, claro! Ou talvez sejam também de origem até mais antiga indo-europeia, mas sim.


Ok ok, bora, vamos lá ver então.


O episódio de hoje acaba por aqui, mas para a semana sai a segunda parte da minha colaboração com o Pavel, em que vou tentar adivinhar as palavras russas que supostamente se parecem a palavras portuguesas, por isso até para a semana!

Voltar ao topo

Próximo episódio